ONG debate assuntos sobre Itupararanga | Jornal VOZ de IBIÚNA

ONG debate assuntos sobre Itupararanga

Viviane R. de Oliveira

A reunião anual da SOS Itupararanga, que aconteceu no dia 25 de novembro, promoveu o encontro de seus diretores e conselheiros, parceiros e associados para apresentar as conquistas e projetos desenvolvidos em 2017 e os novos desafios para o próximo ano.
A SOS Itupararanga mostrou que 2017 foi um ano em que a entidade alçou voos mais altos, especialmente, com a realização do projeto Nossa APA. Aprovado pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Sorocaba e Médio – Tietê (CBH-SMT) e com financiamento do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro), a ONG produziu kits contendo jogos e cartilhas, além de encartes sobre a Área de Proteção Ambiental (APA) de Itupararanga, e atendeu a mais de 12 mil alunos do município.
A ONG apresentou o andamento de mais 3 de seus projetos financiados pelo Fehidro e também o trabalho que realiza desde 2007 para a formação de jovens por meio do curso de informática, que já atinge a marca de mais de mil alunos atendidos. Em 2018, a SOS Itupararanga iniciará a implantação de biodigestores no bairro Verava, projeto que também receberá recursos do Fehidro.
A atuação da ONG na gestão da APA de Itupararanga mereceu destaque, já que este ano a SOS Itupararanga organizou e participou de importantes encontros, como a elaboração do Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado da Região Metropolitana de Sorocaba e a revisão do Plano de Bacia, oficina esta que aconteceu na sede da entidade e que recebeu os prefeitos de Ibiúna, São Roque e Vargem Grande Paulista.
O projeto de extração de areia e argila na várzea dos rios formadores da represa foi outro tema amplamente discutido. A ONG, que tem acompanhado de forma direta o assunto, apresentou informações atualizadas sobre o andamento do processo de licenciamento, e destacou a reunião da entidade com o Secretário Estadual de Meio Ambiente de São Paulo, Maurício Brusadin, que tratou desta pauta.
O encontro anual da SOS Itupararanga comprovou que a articulação dos atores é fundamental para garantir a preservação da nossa represa e que as parcerias fortalecem ainda mais o trabalho desenvolvido pela ONG, permitindo que as ações e projetos cheguem a todos os segmentos da nossa sociedade.

Comments

comments

Postado em 14, dezembro, 2017