Garoto ibiunense sonha em ser nadador paralímpico | Jornal VOZ de IBIÚNA

Garoto ibiunense sonha em ser nadador paralímpico

Júlia Tanaka

Caio Antônio Costa tem apenas nove anos de idade. Nasceu com uma focomegalia – má-formação congênita caracterizada pela ausência de braços e de antebraços e que apresenta, introduzidos ao longo do tronco, os pés e as mãos. Segundo a mãe do menino, Simone Ferreira Costa, a anomalia fez com que desde o seu nascimento Caio tenha o braço direito mais curto e a mão em forma de “lagosta”. A deficiência, no entanto, não impede o garoto de sonhar: ele quer ser nadador paralímpico.

Dona Simone e seu esposo, Altair de Lima Delfino, pai de Caio, contam que o garoto nunca teve complexos, é estudioso (está no quarto ano do Ensino Fundamental, na Escola Manoel Clemente Machado), brinca com seus colegas e, por iniciativa própria, ao acompanhar pela televisão, almeja participar dos jogos paraolímpicos como nadador.

Os pais trabalham em um sítio no bairro dos Pintos, recebem um salário mínimo, que mal cobre as despesas de casa (Caio é o segundo filho e Simone está grávida do terceiro). Para isso, para ajudar o filho a alcançar o seu sonho e ter início as aulas de natação, o garoto e os pais pedem apoio e colaborações.

Nadador paralímpico

No início deste mês, Caio teve um importante passo para conquista do seu sonho. Ele conheceu o nadador paralímpico Italo Gomes Pereira, de 21 anos. O nadador esteve na redação do VOZ de IBIÚNA e contou que nasceu com lesão do sistema nervoso, afetando os membros inferiores,  consequência da Rubéola que a mãe teve durante a gravidez. Mesmo se movendo com apoio de bengalas, Italo se tornou campeão brasileiro de natação. Nos últimos Jogos Paraolímpicos, no Rio de Janeiro, ele conquistou a medalha de bronze no nado costa 100 metros.

Italo conta que desde os seus 11 anos aprendeu a nadar e não parou mais. Ele é bolsista esportivo, treina no Centro Paralímpico da Imigrantes, cerca de 6 horas por dia. Já representou o Brasil nos Jogos Olímpicos e outras competições no Canada, Londres, Estados Unidos, Alemanha, entre outros.Segundo o nadador, o garoto Caio terá facilidade na natação porque tem mobilidade nas duas pernas e quadril. Apesar da mobilidade reduzida nos braços, não impedirá a prática do esporte, que é o sonho do garoto ibiunense.

Colabore

Quem puder contribuir com o sonho do garoto Caio, os contatos são: (15) 3249-1361/ (15) 99724-1007 Altair/ (15) 97256-1016 Simone.

Comments

comments

Postado em 12, abril, 2017