Câmara recebe representantes da Sabesp - Jornal VOZ de IBIÚNA

Câmara recebe representantes da Sabesp

Após alguns encontros adiados, população de Ibiúna e seus representantes, os vereadores, puderam enfim questionar gerentes e superintendente do órgão estadual sobre cumprimento de contrato e ritmos das obras nas áreas de abastecimento de água, tratamento de esgoto e outras demandas do município.

Questões importantes para os moradores de Ibiúna – como “As estações de tratamento de esgoto estão funcionando normalmente?”, “Por que as empresas de limpa fossas não podem descartar na lagoa da Sabesp?” Como fica a situação da água ou do esgoto no meu bairro?” – foram respondidas e tiveram essas respostas questionadas tanto por vereadores, como por representantes da população do município, durante o encontro realizado nesta quarta-feira, dia 20 de setembro, na Câmara Municipal.

O encontro estava sendo organizado há mais de meses pela Presidência da Câmara e por problemas de agenda era adiado. Estiveram presentes representando a Sabesp, o superintendente regional da Unidade de Negócios do Médio Tietê, engenheiro Maurício Tapia – que é quem normalmente responde os vários requerimentos com cobranças feitas pelos vereadores, de seu escritório, em Botucatu -; o gerente da Divisão Regional, Adriano Branco; o encarregado local das operações da Sabesp, Tiago Ramos; além do coordenador do Sistema São Lourenço, Ari Fernandes da Silva.

Na assistência, mais de uma dezena de cidadãos, acompanharam a “quase sabatina” e tiveram oportunidades de fazer perguntas. Alguns protestaram pela demora ou não execução de obras. Entre os vereadores presentes, o presidente da Câmara de Ibiúna, Pedro Luiz Ferreira, o Pedrão da Água; o 1º secretário da Casa, Abel Rodrigues de Almeida, Abel do Cupim; a 2ªsecretária, Elisângela Ferreira de Souza Soares, Elisângela do Escolar; Charles Guimarães, Gerson Pedroso da Silva, Ismael Martins Pereira, Jair Marmelo, Naldo Firmino, Paulinho Dias e Rozi Aparecida Domingues Soares Machado.

Os representantes da Sabesp apontaram a crise hídrica e, o consequente desconto dado nas contas de água dos moradores da Grande São Paulo, como uma campanha para economizar no consumo de água, como impedidores de um investimento e velocidade maior nas obras programadas para Ibiúna e que foram acertadas em contratado, na época da assinatura para implantação do Sistema São Lourenço, que capitará água da represa de Itupararanga, em Ibiúna, para a Região Metropolitana de São Paulo (RMSP). Também informaram novos prazos para a conclusão de obras: algumas em dezembro (daqui a três meses), outrasficaram para 2018 e algumas terão de ser renegociadas por que foram encontradas dificuldades.

Os vereadores cobraram que o que está no contrato deve ser realizado. E quiseram saber como ficam algumas questões particulares de abastecimento de água e esgoto em bairros rurais de Ibiúna. A população também fez mais do que perguntas e questionamentos pontuais sobre problemas que devem ser enfrentados pela Sabesp no município: desabafaram sobre como estão irritados com a demora em soluções como ter água potável e uma rede de coleta de esgoto em sua casa.

Os representantes da Sabesp, Mauricio, Adriano, Tiago, além do coordenador do Sistema São Lourenço Ari Fernandes, esclareceram a população presente na Câmara que as redes de água em diversos bairros de Ibiúna estão em andamento. Quanto ao tratamento de esgoto e vazamento é uma situação comum para Sabesp pois dentro das lagoas de tratamento do esgoto gera lodo que é retirado pela Sabesp.

No bairro do Laval as obras de ligamento de esgoto estão sendo efetuados.

No bairro Cachoeira e Cupim a Sabesp está aguardando um terreno para a construção dos reservatórios que precisam ser autorizados pelos proprietários. As redes de ambos bairros estão prontas.

Os bairros distantes como Verava e Carmo Messias apresentaram sérios problemas na construção de poços com profundidade de 300 metros e nada da água aparecer.

A Sabesp esclareceu que serão construídas três novas estações de bombeamento para coletas de esgoto no Rio de Una, Carmo Messias e Verava. Entretanto os trâmites legais como Cetesb, Ações Judiciais em relação aos proprietários dos terrenos são lentos para serem liberados pela Justiça.

 

Estrada do Verava x Consórcio São Lourenço

Dentro do Contrato Sabesp x São Lourenço foi firmado acordo que seria asfaltado somente onde foram colocadas as tubulações e valas embaixo do asfalto, portanto a estrada do Verava não será asfaltada pelo consórcio São Lourenço. Eles já arrumaram a estrada por onde foram colocadas as tubulações por baixo. Não há nenhum acordo fechado nesse sentido com a Prefeitura.

 

Sistema São Lourenço - Considerada pela Sabesp como uma das maiores obras de abastecimento do País, o Sistema São Lourenço é uma Parceria Público-Privada (PPP) entre a Sabesp e um consórcio privado para instalar um novo sistema produtor de água para a RMSP. Ele vai bombear até 6,4 mil litros de água por segundo da represa Cachoeira do França, em Ibiúna, até a ETA (Estação de Tratamento de Água) em Vargem Grande Paulista. Essa água abastecerá cerca de 2 milhões de pessoas em Barueri, Carapicuíba, Cotia, Itapevi, Jandira, de Parnaíba e Vargem Grande Paulista.

 

Postado em 22, setembro, 2017

Comente!

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>